sexta-feira, 31 de agosto de 2012

o caminhar livre...


Não quero que minha conduta
flua de forma indgna...
abstenho-me dos sentidos tortos,
Exumo as lembranças de meus
estágios mortos,
para obter as respostas
das quais me abstive
por irreversível medo...

Não forcejarei meu futuro
atraves de credos, litomancias.
Fugirei dos logros,
dos belos e dos ogros,
e de forma sonsa,
-assim meio que incidental -
buscarei no impregnar dos escritos
de meu castelo de pensamentos
os momentos nos quais,
ameigado me fiz...

Rasgarei meus versos
se por ventura,
meus reversos assumirem
irosos, quereres de rupturas,
violentando minha maneira de ser.

Adernarei sempre para
o lado que jamais tive.
Arrancarei de minha mente
o oculto e timido querer puro.
E do meu corpo, o caminhar livre.

josemir(aolongo...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário